Crepúsculo dos Deuses: Ferrari rumo à decadência

A Ferrari, maior e mais antiga Scuderia da Fórmula 1, vem passando por uma fase complicada nos últimos tempos. Acompanhe as razões aqui.

Se alguém dissesse para qualquer cidadão dos anos 90, que a Ferrari ia cair em desgraça, ninguém acreditaria. As máquinas vermelhas, ícones associados não só à potência e velocidade, mas também a uma sofisticação ostentosa, compunham o imaginário de todo ser vivente daquela época. Era um momento em que a Televisão reinava absoluta e ditava as ordens do que era bom gosto, ensinando sonhos de consumo.

Na Fórmula 1, é a mais antiga da categoria, sendo também a mais premiada e bem sucedida no esporte.

Eu usei jogos de pneus duros no começo e no final da corrida, fiz exatamente a mesma coisa e o comportamento do carro foi completamente diferente”, afirmou Charles Leclerc, piloto da companhia, na última corrida em Barcelona.

Sem ritmo

O último Gran Prix, em Barcelona, foi de decepção e frustração para os pilotos e torcedores da Ferrari. Eles acreditavam que as inconsistências apresentadas nas últimas disputas seriam resolvidas pelas novidades implementadas para aquela corrida, o que não funcionou. A Scuderia viu seu piloto Sainz dar a largada em segundo lugar e terminar na quinta posição, por falta de ritmo da máquina. 

Em resumo, ainda não se sabe exatamente qual é o problema da Ferrari, e a todo momento se busca tentar solucioná-lo. Enquanto o problema não é sequer detectado, a enxurrada de derrotas segue se acumulando, fazendo a companhia entrar em franca decadência, pelo menos no quesito moral.

Por conta disso, é bem difícil que a marca italiana consiga sair dessa má fase ainda nesse ano. Talvez em 2024 ela esteja novamente pronta para o seu close-up.

A mais antiga da Fórmula 1 está no Twitter. Siga a Vermelhona para ficar por dentro de todas as novidades:

Colabore com Esporte e Mídia. Sugira pautas e notícias para nosso site continuar crescendo.

notícias

Deixe um comentário

Você está aqui: Início > Destaques > Crepúsculo dos Deuses: Ferrari rumo à decadência