Lutadora argentina ganha mais em plataforma de conteúdo adulto do que no UFC

A lutadora argentina Ailin Pérez revelou em entrevista ao jornalista Ariel Helwani que ganha mais no OnlyFans do que nas bolsas de lutas no UFC. Após vencer Lucie Pudilová no UFC Vegas 82, Pérez embolsou 24 mil dólares, mas seus ganhos semanais no OnlyFans chegam a 30 mil dólares. Mesmo com o OnlyFans sendo sua principal fonte de renda, Pérez enfatiza que o foco está na carreira no octógono e que continuaria mesmo se o UFC proibisse conteúdo adulto na plataforma.

A lutadora argentina Ailin Pérez, que recentemente venceu sua luta contra Lucie Pudilová no UFC Vegas 82, surpreendeu ao compartilhar que sua fonte de receita mais substancial não provém das bolsas das lutas, mas sim de sua carreira paralela no OnlyFans.

Em uma entrevista franca no podcast MMA Hour, de Ariel Helwani, importante jornalista no mundo das lutas, Pérez revelou que seus ganhos na plataforma de conteúdo adulto superam significativamente o montante acumulado nos octógonos.

Carreira paralela é mais lucrativa

Após vitória no UFC Vegas 82, Pérez embolsou 24 mil dólares. É importante lembrar que, nesse montante, estão somados o valor da bolsa e o valor do bônus de vitória e, se tivesse perdido, ganharia apenas a metade. No entanto, a atleta revelou que, em uma única semana no OnlyFans, seus ganhos alcançaram a marca impressionante de 30 mil dólares.

“Desde a última quinta-feira (16) até agora, eu recebi mais de US$ 30 mil (aproximadamente R$ 147 mil). Eu tiro vantagem do OnlyFans porque é lá que estou ganhando meu dinheiro. Com o dinheiro do OnlyFans eu pude comprar um carro. Estou no UFC porque amo lutar. Esse é o desafio que coloquei na minha vida e luto no UFC porque amo. Mas o meu dinheiro eu faço no OnlyFans”, disse a atleta.

Foco na carreira de lutadora

Ailin Pérez está atualmente em seu primeiro contrato com o UFC. Embora sua principal fonte de renda seja o OnlyFans, a lutadora assegura que seu foco primário é a carreira no octógono.

“Espero conseguir uma renovação de contrato, que é o que estou buscando, e multiplicar esses números para receber melhor. Mas, nesse ponto, sendo mais ou menos, minha vida é lutar, eu amo lutar e vou continuar lutando”, afirmou Perez.

Não luta por dinheiro

Quando perguntada o que faria caso o UFC adote uma política semelhante à da WWE, que proibiu atletas de publicarem conteúdo adulto na plataforma, Ailin Pérez afirma que não abandonaria a carreira de lutadora, deixando claro que o dinheiro não é sua motivação central para continuar na luta.

“Eu mudaria alguns dos meus custos, mas continuaria lutando. Eu luto pelo meu país e isso é mais importante para mim”, finalizou.

Fique por dentro de tudo sobre o UFC na conta oficial do torneio no X (antigo Twitter):

Siga @esporteemidiabr no Instagram e Twitter e tenha acesso às nossas novidades através das redes sociais.

notícias

Deixe um comentário

Você está aqui: Início > Arte Marcial > MMA > Lutadora argentina ganha mais em plataforma de conteúdo adulto do que no UFC