Vini Jr. rasga o verbo sobre racismo no futebol europeu: “Posso mudar as coisas”

Atualizado :

Vinícius Júnior, jovem extremo do Real Madrid, revelou experiências de racismo durante jogos de futebol, destacando a necessidade de combater o problema em conjunto. Ele abordou as vaias dos torcedores adversários e seu estilo de jogo "brincalhão". Vinícius também condenou o racismo persistente e a falta de ação por parte das autoridades. Além disso, expressou seu desejo de jogar com Kylian Mbappé no Real Madrid. O jogador destacou a importância de usar sua influência para combater o racismo e promover a igualdade no futebol.

O atacante de 22 anos também confessou que deseja jogar com Mbappé.

Vinícius Júnior voltou a falar sobre os episódios de racismo que viveu na temporada passada, especialmente no Mestalla. Lá, o atacante brasileiro confessou que foi agredido por torcedores do Valencia com insultos devido à sua cor de pele. Por essa razão, o carioca levou o caso ao tribunal e desde então tem prestado declarações.

Se eu lutar contra o racismo sozinho, o sistema vai me esmagar. Os torcedores adversários podem me vaiar durante todo o jogo, não me interessa. Mas quando se trata de racismo, a situação é diferente. Vaiar faz parte do jogo: Messi, Cristiano, Benzema, Neymar… todos eles já passaram por isso. Os torcedores de outras equipes nos provocam e é normal. Eu gosto e isso me motiva a marcar gols para eles

disse o brasileiro.

O atacante de 22 anos tem sido alvo de críticas pelo seu comportamento ‘brincalhão’ perante os torcedores rivais. Apesar de ser um dos mais afetados pelas vaias e insultos das arquibancadas, para os clubes espanhóis ‘ele mente’, como disse o presidente do Valencia, Peter Lim.

Esses episódios afastaram o brasileiro de uma partida em maio, durante o último ano letivo. No entanto, Vini deixou para trás as vaias dos torcedores rivais e foi o melhor jogador do Real Madrid na Liga e na Liga dos Campeões

 

Provocações

Vale ressaltar que o que caracteriza o jogo do carioca são as firulas e o  famoso ‘jogo bonito’. Quando Neymar Jr. jogava no Barcelona, também recebia provocações pela sua forma de jogar.

‘Aconteceu muitas vezes, e no Valencia de forma flagrante e importante, senti muita tristeza. Se estou em campo, é para fazer as pessoas felizes. Um grupo, que sei que é minoritário, pode nos afetar a ponto de deixarmos de pensar em jogar’,

acrescentou Vini.

Valência detonou o problema do racismo

Segundo o jogador do Real Madrid, o Mestalla foi o estádio mais difícil em que já jogou. Para ele, os torcedores que o insultaram merecem ser punidos, embora a liga não tenha feito nada a respeito. Já passou um ano e eles continuam a entoar cânticos racistas contra Vini.

‘Eles me ouviram a partir do momento em que o mundo inteiro começou a falar da Espanha. Isso fez com que reagissem. Pessoalmente, sei que não vou mudar a história, que não vou fazer da Espanha um país sem racistas, nem o mundo inteiro, mas posso mudar as coisas para que o racismo seja uma questão minoritária’,

afirmou.

Naquele jogo, Vinícius quase foi expulso em uma briga com o capitão do Valencia, Gabriel Paulista. No entanto, Carlo Ancelotti retirou-o de campo e o brasileiro saiu para o vestiário em lágrimas.

De fato, Mouctar Diakhaby, que pertence à equipe do Che, estava a favor de Vinícius e não de seus colegas de equipe.

‘Quero continuar a ter influência. A minha voz tem peso e eu posso ajudar. Não se trata apenas de futebol ou de pessoas negras. Se alguém nos insulta de uma forma que nos magoa, temos de responder. Até que as coisas mudem’,

enfatizou o carioca.

Vinícius Júnior também falou sobre Mbappé

Há dois anos que se fala da chegada de Kylian Mbappé ao Real Madrid. No entanto, o acordo entre o jogador francês e a Casa Blanca não foi alcançado e ele está cada vez mais distante de chegar a Valdebebas. De fato, Donatello já recusou ofertas de Florentino Pérez devido ao pouco dinheiro oferecido pelos Merengues.

‘Toda a gente aqui quer jogar com o Kylian. Espero que isso aconteça um dia. Ele é um dos melhores, se não o melhor de todos, neste momento. Tem um nível único’,

referiu o extremo sobre Kiki.

O Madrid está começando bem a temporada no ataque, apesar da saída de Benzema. Parte deste bom desempenho deve-se à contratação de Jude Bellingham, que marcou 10 gols em nove jogos. Além disso, Joselu também tem aparecido quando a equipe precisa dele, com 5 gols até agora nesta temporada.

‘Estamos muito contentes por ele ter assinado. Há meses que lhe dizia: ‘Esta é a melhor equipe do mundo’. Sabia que outras equipes o queriam. Não o conhecia pessoalmente, mas queria muito que ele se juntasse a nós. Eu o vi jogar e, como quero jogar com os melhores, era óbvio. Jude é um dos melhores do mundo e toda a equipe o adora. Ele marca gols, é feliz’,

concluiu, elogiando Jude.

Acompanhe no X (antigo Twitter):

Siga @esporteemidiabr no Instagram e Twitter e tenha acesso às nossas novidades através das redes sociais.

Aposta nas melhores casas de apostas do dia 15 de Julho 2024

Deixe um comentário

Você está aqui: Início > Futebol > Futebol Europeu > Espanha > La Liga > Vini Jr. rasga o verbo sobre racismo no futebol europeu: “Posso mudar as coisas”