Gabigol corneta parte da torcida rubro-negra: “’Vou ser o próximo do caixão?”

Amanda Alvarez

Atualizado :

Em participação no Podcast "10 e Faixa", do ex-jogador Diego Ribas, o craque rubro-negro Gabriel Barbosa foi bastante sincero: "Tem coisas que a torcida do Flamengo faz que eu acho que é errado".

O ex-jogador Diego Ribas recebeu em seu “10 e Faixa” o atual camisa 10 do Flamengo, o polêmico e goleador Gabriel Barbosa, internacionalmente conhecido como Gabigol. Entre tantos assuntos que os dois boleiros abordaram, é claro que não podia faltar o Flamengo e a sua torcida. Gabi, como também é conhecido, não usou de meias palavras tanto para declarar o seu amor ao clube carioca quanto também para apontar aquilo que, na torcida, ele não gosta: as vaias nos momentos mais importunos.

“Às vezes a torcida dá uma viajada”

O goleador flamenguista disse que a torcida às vezes pega no pé dele e que ele, que não é deixar nada barato, também pega no pé da torcida quando é necessário. Gabigol disse que essa relação é, no fundo, de amor, pois o que ele e os apaixonados rubro-negros também querem é ver o Flamengo sempre melhor.  O importante, segundo Gabi, é não passar do ponto: “Eles pegam muitos no meu pé, e eu gosto disso. Eu pego no pé deles e é uma relação que vai acabar em amor e está tudo bem. É só não passar do ponto! Tem momento que eles dão uma viajada e aí eu não concordo. Mas não tenho problema com isso. Eu gosto muito de estar no Flamengo, me identifico e me vejo neles”.

Aposentar no Flamengo

A história de Gabigol no Flamengo começou no ano mágico de 2019, quando a equipe venceu no segundo semestre o Campeonato Brasileiro com pontuação recorde e venceu, depois de mais de três décadas de espera, a taça da Copa Libertadores da América. 

Gabi fez os dois gols da vitória sobre o River Plate. Partida que marcou para sempre na história do clube aquela geração de jogadores comandados por Jorge Jesus. Gabi também comentou no bate-papo com Diego Ribas que tem o sonho de poder continuar no Flamengo por muitos anos e, quem sabe, se aposentar no clube: “é algo que eu amo muito, espero ficar muito tempo. Tomara que eu consiga ficar até os 35 e me aposentar no Flamengo. Tomara“.

Bom momento

Depois de um início de ano abaixo do esperado, o atacante rubro-negro parece começar a voltar à sua velha boa forma, fazendo gols e sendo decisivo em jogos grandes. A torcida rubro-negra já começava a sentir falta da qualidade corriqueira do craque. 

Mas é verdade que os apaixonados rubro-negros nunca vaiaram única e exclusivamente Gabi, como vêm fazendo com o zagueiro David Luiz ou, poucos anos antes, com William Arão, ex-jogador e lenda vida do clube: “Não concordo com o último jogo do Arão ter sido daquele jeito. Ele foi embora vaiado do Flamengo, um cara que tem 500 e tantos jogos. Não concordo com isso”. disse Gabi à Diego Ribas.

Caixão

Um dos momentos mais engraçados da conversa entre Diego e Gabi foi quando o atacante rubro-negro fez uma piada com o uso de “caixão” em protestos de torcedores contra seus times. O caso mais recente foi o da torcida do Corinthians que “colocou” simbolicamente o jogador Luan no caixão: “A gente entende porque também somos torcedores, eles têm todo o direito de ficar tristes, de criticar a gente, mas quando vai no CT empurrar carro, não é legal! O caixão… Será que eu vou ser o próximo do caixão, cara?“,  perguntou Gabigol, aos risos.

Fique por dentro do que posta o craque Gabriel Barbosa em seu twitter oficial:

notícias

Deixe um comentário

Você está aqui: Início > Últimas Notícias > Gabigol corneta parte da torcida rubro-negra: “’Vou ser o próximo do caixão?”