Bufando grana: Como o futebol saudita se banca? Entenda aqui

Amanda Alvarez

Atualizado :

Nada chama mais atenção nos esportes atualmente do que todo o esforço da Liga Saudita em aparecer. E aparecer, para eles, é gastar dinheiro! A Copa do Qatar foi somente a estreia de um plano engenhoso, de se destacar no cenário mundial, como forma de estabelecer uma Liga competitiva, que atraia investimentos.

Mas você já pensou de onde sai essa grana toda?

Montados na grana

Não foi só a Copa do Mundo que chamou atenção. As contratações surpresa de Cristiano Ronaldo e Karim Benzema também fizeram todos os olhos se voltarem para o deserto. Vale lembrar da derrota em fevereiro de 2023 do Flamengo para o Al-Hilal. São eventos bastante chamativos, que fazem todos se perguntarem de onde vem tamanho investimento

A ordem veio pelo Governo Saudita, que determinou que os clubes de futebol apresentassem suas demonstrações financeiras. Curiosamente, as planilhas entregues não são muito detalhadas, como as ocidentais, mas ajudam a ter uma noção dos ganhos e gastos.

O que diz o relatório

Os dados apresentados informam muita desigualdade entre os clubes. A primeira divisão saudita teve um faturamento estimado em 3,9 bilhões de reais em 2022, podendo facilmente passar de 4 bilhões, se não fossem os dados omitidos pelo Al Ahli. Este, curiosamente, é o maior clube da Liga, com lucro de 1 bilhão, enquanto os outros estão na casa dos 170 milhões de reais por ano.

De onde vem o dinheiro

Enquanto no Brasil a maior parte da receita é gerada por patrocínios, transferências de profissionais e direitos de transmissão, na Arábia Saudita é o governo quem distribui dinheiro ao times, por meio do Ministério dos Esportes. É a maior e praticamente única entidade de financiamento do futebol deles.

Note-se que os valores de bilheteria e direitos de transmissão, incluídos na lista como ‘diversos’, são pouco representativos. O que reforça a ideia de que esse é um futebol que ainda não se sustenta.

Todo o investimento vem de cima, e não há lucro. Os patrocínios são altos, havendo bastante investimento por parte dos donos, e doações de príncipes e empresários.

 É esse aporte de dinheiro que permite compras ousadas, como aconteceu com Benzema e CR7.

Em 2022, apenas dois clubes fecharam a planilha com lucro dentro de casa. Essa é uma prova irrefutável de que o futebol saudita ainda precisa comer muito feijão com arroz para, de fato, aparecer. Veja abaixo a planilha apresentada:

ClubeDiversasPatrocíniosAtletasDoaçõesGovernoTOTAL
Al Hilal1262910367203987
Al Nassr13613712223159667
Al Ittihad991211611227473
Al Shabab4334500142269
Al Fateh146310137170
Al Taawon51565102169
Al Feiha232115116157
At Ettifaq1761011111155
Al Faisaly13902126150
Al Baten9212113126
Al Taee15603100125
Al Raed14510102122
Al Hazem9411107122
Dhamk1441298120
Abha5200107114
Al AhliNão publicouNão publicouNão publicouNão publicouNão publicouNão publicou
TOTAL58763510265219503926

Siga o Al Hilal nas redes sociais e fique por dentro de um dos maiores times do futebol saudita através da conta oficial do Twitter:

Colabore com o crescimento do Esporte e Mídia! Sugira notícias e pautas às quais gostaria de ver publicadas em nosso site.

Aposta nas melhores casas de apostas do dia 18 de Junho 2024

Deixe um comentário

Você está aqui: Início > Últimas Notícias > Bufando grana: Como o futebol saudita se banca? Entenda aqui