Record ameaça ir a Justiça contra acordo Globo/FIFA

Atualizado :

Por meio de comunicado oficial divulgado nesta quarta-feira, a Rede Record protestou contra o acordo que dá à Rede Globo o direito de transmitir as Copas de 2018 e 2022. Segundo a emissora paulista, a FIFA descumpriu a promessa feita de abrir uma licitação pública e fechou um compromisso não transparente, por isso a briga pode até parar na Justiça.

No dia de ontem, a Globo anunciou a renovação de seu compromisso com a entidade máxima do futebol até 2022, mas, para tanto, não venceu nenhum tipo de concorrência pelo novo contrato, ao contrário do que normalmente acontece em negociações do tipo. À FIFA, explicou, porém, que “aborda cada mercado de forma diferente de acordo com as circunstâncias”.

Com informações do UOL Esporte

LEIA A ÍNTEGRA DA NOTA DA RECORD
A Rede Record vem a público manifestar absoluta surpresa com a decisão da Fifa de prorrogar o acordo de direitos de transmissão das Copas do Mundo de 2018 e 2022 para o Brasil com uma outra emissora sem qualquer licitação.


A Record foi informada em 2010, logo após o término da Copa do Mundo, pelo diretor de TV da Fifa, Sr. Niclas Ericson, de que haveria uma concorrência pelos direitos de transmissão dos eventos promovidos pela Fifa em 2018 e 2022, conforme provam e-mails trocados entre executivos da Record e da Fifa. No encontro realizado no Hotel Fasano, no Rio de Janeiro, a direção de nossa empresa ouviu garantias de que a licitação seria pública, transparente e aberta em regime semelhante ao que a Fifa realiza em países do mundo inteiro. Na oportunidade, a Record também entregou à Fifa um documento oficial afirmando que concorda com todas as condições para a aquisição dos eventos.


O acordo com a concorrência foi anunciado sem que qualquer outra empresa de comunicação brasileira tenha sido consultada, A informação foi divulgada no mesmo espaço de notícias em que a Fifa anuncia a abertura de licitação dos direitos para centenas de países da Europa, como Alemanha, Itália e Portugal; da Ásia como China e Índia; da Oceania como Austrália, da África, além de Estados Unidos, Canadá, América Central e da própria América do Sul.


É estranho verificar que para o Brasil o método seja outro. Um contrato sem concorrência decidido “fora do horário comercial”, sem ser à luz do dia e de forma transparente.


Relevante, também, ressaltar que a empresa que teve seu acordo prorrogado com a FIFA gosta de se auto intitular como um dos maiores grupos de comunicação do mundo. Em contrapartida, mostra em seus métodos que não aceita concorrência livre em que a melhor proposta seja a vencedora.


A Record informa que pretende estudar as melhores medidas judiciais cabíveis na Suiça e no Brasil que garantam os direitos internacionais de negociação.


Acreditamos na justiça e nas entidades mundiais de defesa do livre comércio sediadas na Suiça. Organizações que, justamente, combatem práticas de monopólio, protecionismo e corrupção.

ATUALIZAÇÃO (19h55): Segundo a Veja Online, por Lauro Jardim, não foi só na Record que a Globo deu um drible com a compra dos direitos de transmissão das Copas de 2018 e 2022. Deixou também o portal Terra e operadoras de telefonia para trás. O contrato da Globo com a Fifa inclui TVs aberta e fechada, internet e celular. O responsável pela negociação, Marcelo Campos Pinto, está com prestígio nas nuvens na emissora.

ATUALIZAÇÃO (1/3 – 5h00): Segundo o Jornal Agora São Paulo, por Alberto Pereira Jr., a Globo afirma não haver obrigação legal de uma entidade privada, como a FIFA, de fazer concorrência. A entidade, por sua vez, não respondeu os questionamentos da Record.

record

rede globo

TV Aberta

Aposta nas melhores casas de apostas do dia 20 de Julho 2024

Deixe um comentário

Você está aqui: Início > Sem categoria > Record ameaça ir a Justiça contra acordo Globo/FIFA