“Precisamos de alguém que entenda o que a gente é”, dispara Milly Lacombe. Eliminação do Brasil segue repercutindo 

Milly Lacombe dispara contra futebol pragmático de Pia Sundhage e comissão técnica. Jornalista do UOL diz que estilo da treinadora começou como remédio mas acabou como veneno, em participação fracassada da Seleção Brasileira na Copa do Mundo Feminina.

Brasil está fora da Copa do Mundo. Após empate sem gols contra a seleção da Jamaica nesta quarta-feira (2), o selecionado brasileiro dá adeus à Copa. Eliminada na primeira fase, a equipe canarinho não conseguiu corresponder às expectativas colocadas pela torcida. 

A jornalista Milly Lacombe, durante a sua participação no programa da UOL “Joga Junto”, fez uma análise do trabalho da treinadora Pia Sundhage durante o ciclo até a eliminação brasileira na Copa do Mundo. Milly, que acompanhou de perto todo o trajeto da Seleção até o Mundial Feminino da Nova Zelândia e Austrália, acredita que houve um erro na dosagem do “pragmatismo” que Pia trouxe ao time canarinho.

A escola pragmática de Pia:

“A escolha da CBF pela Pia foi a escolha por uma escola mais pragmática mesmo. Foi avaliado, nem sei se de maneira incorreta, que faltava força mental, seriedade e disciplina. O que eu acho que erramos foi na dose”, disse a experiente jornalista.

Do remédio ao veneno:

 “O que separa o veneno do remédio? É a dose. Fizemos da Pia veneno ao invés de fazermos dela remédio e acho que isso pesou. Só porque você traz uma coisa, você não precisa abrir mão de outra, o certo seria fazer essa mistura. O meu sonho seria ver a Pia com a Sissi no comando. A Sissi daria o que a Pia não tem. Acho que faltam essas ideias, precisamos de alguém que entenda o que a gente é”.

Milly Lacombe acredita que, para o próximo ciclo, o principal será ir ao encontro da característica mais básica do futebol brasileiro: a espontaneidade. Evidentemente, não se trata de desprezar todos os conhecimentos táticos e técnicos que o trabalho da sueca Pia Sundhage deixará como legado. Mas o futuro virá precisamente com a assimilação e a superação deste estilo mais pragmático, proporcionando às jogadoras se sentirem mais livres para expressarem o jogo bonito que é algo bem mais brasileiro.

Acompanhe todos os desdobramentos da eliminação do Brasil na Copa do Mundo através do Twitter oficial da seleção feminina:

notícias

Deixe um comentário

Você está aqui: Início > Profissionais > “Precisamos de alguém que entenda o que a gente é”, dispara Milly Lacombe. Eliminação do Brasil segue repercutindo