Galvão dá pitaco sobre novo técnico da Seleção; aposentado segue na busca por holofotes

Amanda Alvarez

Atualizado :

aposentado Galvão Bueno se pronunciou em suas redes sociais sobre a escolha da CBF em escalar Fernando Diniz como novo técnico interino da Seleção Brasileira. Diniz, que ainda possui vínculo com o Fluminense, irá precisar conciliar os dois serviços, até que Carlo Ancelotti esteja livre para assumir a prometida vaga de técnico do Brasil. Veja o que Galvão falou sobre essa escola.

A escolha de Fernando Diniz como técnico interino da Seleção Brasileira pelo período de um ano continua dando o que falar. Desagradou a praticamente todo mundo que gosta e entende de futebol. Vale lembrar que a decisão é uma medida paliativa, a qual busca manter garantida a vaga do tão sonhado Carlo Ancelotti, o qual já avisou que permanece no Real Madrid até meados de 2024, período no qual findará o seu contrato. Galvão Bueno, que segue ativo nas redes sociais após a aposentadoria, botou a boca no trombone, agora que não possui mais amarras contratuais com a TV aberta.

Errou feio, errou rude

Para Galvão, Fernando Diniz é bom e digno de elogios, mas sua linha de trabalho seria completamente diferente da de Ancelotti, não fazendo qualquer sentido combiná-las:

“É mais um erro. O Fernando Diniz é um técnico autoral. Ele tem o jeito dele, próprio, de jogar futebol. Além da posse de bola, além do ‘tique taque’, os jogadores giram, mudam de posição. Ele é autoral. Ele tem um jeito de jogar futebol e o jeito que ele pensa futebol não tem nada a ver com o jeito que o Ancelotti pensa futebol. Nada”, disse o antigo número 1 da Globo.

Em seguida, GB prosseguiu:

“Eu fico aqui imaginando, quem é que está pensando na CBF para tomar essas atitudes? Como puderam pensar para chegar nessa decisão? Como colocaram um técnico interino, por praticamente um ano, que pensa e joga futebol de um jeito diferente do outro que chega daqui um ano para fazer o ciclo até a Copa do Mundo. Não consigo entender. Não dá para entender. Aquilo que começa errado, termina errado”, explicou o narrador através das suas redes sociais.

Divisão de Trabalho

O que não casa, na perspectiva de Galvão, é a forma de trabalhar de Diniz, a qual seria completamente diferente do modo com o qual Ancelotti costuma trabalhar. Para ele, apostar em coisas tão diferentes significa investir em um atraso no aspecto da evolução da equipe, que pode ter consequências avassaladoras num futuro competitivo.

A conduta da CBF como um todo, na verdade, tem desagradado os especialistas em futebol. Deixar uma equipe como a Seleção Brasileira “de molho”, à disposição de um profissional que ainda possui vínculos empregatícios com outra instituição, seria um erro crasso. Vale lembrar que o período é decisivo: estamos no ‘esquenta’ para a Copa do Mundo, momento no qual os times precisam dar a largada de maneira satisfatória e concisa.

Vale lembrar que Diniz não está inteiramente disponível: o profissional possui vínculo com o Fluminense, e deverá mantê-lo assim. Dessa forma, irá precisar conciliar as duas funções simultaneamente. Sim, treinar a Seleção Brasileira vai ser um bico para Fernando Diniz.

‘Tô nem aí’

Contrariando as impressões gerais, a CBF segue firme em sua decisão, certos de que essa é uma aposta segura. Para Ednaldo Rodrigues, presidente da instituição, Diniz teria uma forma parecida, sim, com a de Ancelotti trabalhar. As táticas as quais costuma usar, a experiência com clubes de mesmo porte, e a proposta de jogo, na visão de Rodrigues, seriam suficientes para considerá-lo um bom substituto. Será mesmo?

A coletiva de imprensa que apresentou Fernando Diniz como técnico interino da Seleção Canarinho aconteceu ontem, 05 de julho, na sede da CBF.

Veja o perfil de Galvão Bueno no Twitter e acompanhe todas as novidades do antigo número 1 da Globo:

Siga @esporteemidiabr no Instagram e Twitter e tenha acesso às nossas novidades através das redes sociais.

E pra você, a opinião de Galvão Bueno:

Aposta nas melhores casas de apostas do dia 19 de Junho 2024

Deixe um comentário

Você está aqui: Início > Profissionais > Galvão dá pitaco sobre novo técnico da Seleção; aposentado segue na busca por holofotes