Poucas e boas: presidente do Lille esculhambou os seus jogadores

O Lille enfrentou uma derrota por 2x1 diante do Racing Strasbourg, resultando em duras críticas do presidente Olivier Létang à atitude dos jogadores. A insatisfação com o atual desempenho do time, em quarto lugar e com um plantel mais restrito, reflete-se nas declarações de Létang, que questiona a falta de ambição dos jogadores. As palavras do presidente também deixam em aberto o futuro de alguns ativos na janela de transferências de inverno. Além disso, o Lille, sem reforços significativos, enfrenta desafios com perdas notáveis de jogadores e um mercado de transferências aquém das expectativas.

O Lille foi derrotado por 2×1 pelo Racing Strasbourg, levando o presidente da equipe, Olivier Létang, a criticar seus jogadores. Para o dirigente da instituição, a atitude dos seus atletas é inaceitável para um clube do calibre dos Mastiffs.

“Vou ter umas férias péssimas. Estou muito, muito, muito, muito, muito, muito desiludido. Podemos perder jogos, podemos falhar passes ou controlos, mas não temos o direito de ter a atitude que tivemos”, declarou o presidente.

O grupo de Paulo Fonseca ocupa o quarto lugar, contando com um plantel mais restrito em comparação ao ano passado. Não foram realizadas contratações no verão para compensar a perda de jogadores, e com três competições, otime se mostra insuficiente.

 

Ficou na cara

Létang expressou sua insatisfação, revelando que há algum tempo tem sentido essa “sensação na garganta”. Para o presidente, o empate contra o Paris Saint-Germain encobriu os defeitos dos jogadores, e desde a derrota por 0-0 contra o Clermont, essa reviravolta já era perceptível.

“Não é possível, não é de todo o que queremos (…) Com Paulo Fonseca, temos um nível de ambição, e os jogadores não têm estado ao nosso nível de ambição”, reclamou Létang.

Com essas declarações, Olivier deixou no ar o futuro de alguns ativos na janela de transferências de inverno. O presidente defende que o desempenho da equipe depende das exibições e da atitude demonstrada em campo, razão pela qual uma das duas coisas não está sendo cumprida.

Até o momento, os nortenhos ocupam posições na Liga da Conferência e nos oitavos de final da Conferência. O Lille terá de esperar até 14 de janeiro para voltar a jogar na Ligue 1 e ver se as palavras do seu proprietário têm um impacto real, seja positivo ou negativo nos seus jogadores.

Lille sem reforços

Paulo Fonseca está a trabalhar com um grupo de nível inferior ao do passado. Carlos Baleba foi vendido no verão por 27 milhões de euros para o Brighton, Timothy Weah para a Juventus por 11 milhões de euros e seis jogadores saíram a custo zero.

Jogadores como Jonathan Bamba, José Fonte e Jonas Martín foram titulares na equipe principal. A maioria das perdas são atacantes e médios, posições que não foram reforçadas.

As principais contratações de verão são defesas, sendo a mais cara a de Hákon Arnar Haraldsson, lateral esquerdo do FC Copenhaga, que custou 15 milhões de euros. Até agora, disputou 18 jogos em todas as competições e marcou apenas um gol na Liga da Conferência.

Cifras milionárias

Segue-se Tiago Santos, lateral-direito do Estoril, que chegou por 6 milhões de euros. O português tem 20 jogos pelo Lille e um gol.

Nabil Bentaleb está a revelar-se a melhor contratação até ao momento. O argelino chegou do Angers e impôs-se como o médio titular da equipa, atuando numa posição chave para Fonseca. Chegou por apenas 4 milhões, e o seu desempenho é notável.

Mas, de um modo geral, o mercado de transferências do Lille não está produzindo os resultados esperados. Isso pode ser devido à falta de rotação, ao cansaço de três competições e à falta de atitude.

 

Notícia

Acompanhe notícias do esporte no X (antigo Twitter):

Siga @esporteemidiabr no Instagram e Twitter e tenha acesso às nossas novidades através das redes sociais.

notícias

Deixe um comentário

Você está aqui: Início > Futebol > Futebol Europeu > Champions League > Poucas e boas: presidente do Lille esculhambou os seus jogadores