Interrupção precoce? Lutadores repercutem interrupção do juiz em Poatan x Prochazca

Publicado :

Alex Poatan conquistou o cinturão dos meio-pesados no UFC 295, vencendo Jiri Prochazca por nocaute técnico no segundo round. Apesar do feito, surgiram muitas críticas à interrupção do juiz. Um dos críticos mais enfáticos foi Jamahal Hill, ex-campeão da categoria, que acompanhava a luta da plateia. Na entrevista pós-luta, Poatan defendeu a decisão e Jiri Prochazka assumiu que estava inconsciente.

A luta entre Alex Poatan e Jiri Prochazca, ocorrida no último sábado (11/11), terminou com um nocaute técnico (quando há interrupção do juiz) no segundo round em favor do brasileiro. Com essa vitória, Poatan se tornou o lutador a conquistar dois cinturões em menos lutas na organização. Ao todo, foram 7 lutas desde sua estreia na organização (o duplo campeão mais rápido anterior, Randy Couture, conseguiu o feito em nove lutas).

Apesar disso, muita gente achou que a interrupção do juiz foi precipitada, pois, após Poatan ser retirado de cima de Prochazka, o tcheco se levantou rapidamente e aparentou estar pronto para continuar a lutar. Sem sombra de dúvidas, o mais vocal dos críticos à interrupção foi Jamahal Hill, ex-campeão da categoria dos meio-pesados.

O lutador americano, que deixou o cinturão vago após se lesionar para não travar a categoria, estava na plateia do Madison Square Garden e teve sua reação capturada pelas câmeras do UFC. Hill parecia inconformado com a interrupção do juiz e chegou a bater boca com Michael Bisping, ex-lutador e atual comentarista do UFC, que também acompanhava o evento nas primeiras fileiras da plateia.

Poatan concorda com decisão do juiz

Ainda no octógono, na entrevsta pós-luta, Poatan foi perguntado por Joe Roagan sobre o que achou da interrupção do Juiz. O agora duplo-campeão respondeu que julgou a decisão correta, pois o seu adversário havia sofrido dois knockdowns consecutivos, o primeiro em um cruzado de esquerda (golpe-assinatura do brasileiro) e o segundo em diversas cotoveladas que recebeu na têmpora ao tentar entrar em queda.

Logo após a luta, na coletiva de imprensa, o brasileiro seguiu a mesma linha de raciocínio e defendeu o juiz.

“Com certeza o árbitro acertou. Tinha muita coisa para acontecer ainda, nós dois ali no gás. E o árbitro está ali para isso. Imagina eu por cima (na montada) e o cara sentindo as porradas. Eu ia começar a bater ali e, de repente, até machucar o cara. Então, acho que foi tudo correto, foi bem profissional”, afirmou o campeão.

Jiri Prochazka assume que estava apagado

O Samurai Tcheco, como Prochazca gosta de se chamar, demonstrou muito fair play na entrevista pós-luta e assumiu que os golpes de Poatan o apagaram. É muito comum que, numa situação dessas, lutadores omitam algumas informações mais comprometedoras para aumentar a revolta popular e forçar uma revanche. No entanto, Jiri se negou a usar desse tipo de artifício e defendeu a interrupção do juiz, colocando um pá de cal na polêmica.

“Acho que, no final, foi o correto. Eu estava apagado, mas eu nunca vou parar. Mesmo que eu esteja apagado, meu corpo vai funcionar. M*** acontecem, não importa. Para mim, é um grande aprendizado. Vamos trabalhar nisso e voltar mais forte que nunca. Obrigado, Alex, por essa luta. Foi um aprendizado muito grande para mim. Voltarei”, disse o tcheco no octógono.

Fique por dentro de tudo sobre o UFC na conta oficial do torneio no X (antigo Twitter):

Siga @esporteemidiabr no Instagram e Twitter e tenha acesso às nossas novidades através das redes sociais.

Aposta nas melhores casas de apostas do dia 12 de Julho 2024

Deixe um comentário

Você está aqui: Início > Arte Marcial > MMA > Interrupção precoce? Lutadores repercutem interrupção do juiz em Poatan x Prochazca