“Haja coração!” Listamos os 5 melhores narradores brasileiros de todos os tempos

Atualizado :

Novidades e nomes tarimbados. O torcedor brasileiro sabe quem é o primeiro desta lista, mas e o segundo, o terceiro, o quarto… O quinto? Confira nossa lista e entre nessa escolha polêmica, que deixou de fora nomes como José Silvério, Osmar Santos e Luis Roberto.

Narrar um jogo é, também, “criar” um jogo. Os melhores narradores sabem muito bem dessa premissa e fizeram do seu ofício muito mais do que descrever os acontecimentos mecânicos de um jogo.

Eles criaram, imprimiram emoções sem as quais muitos torcedores ficariam de mãos abanando mesmo diante dos fatos mais importantes envolvendo seus clubes de coração em uma partida de futebol.

Como nós brasileiros somos apaixonados pelo esporte bretão, há muitos narradores que marcaram nossas vidas. Cada pessoa tem o seu preferido e se esta matéria fosse uma enquete aberta, o que ia ter de nome diferente aqui não ia ser brincadeira. No entanto, hoje nosso objetivo não é escolher os favoritos. Nossa missão é um pouco mais complicada e polêmica: listar os 5 principais narradores brasileiros de todos os tempos.

Deixe de lado seu narrador favorito, e encare a coisa de um modo mais histórico, envolvendo técnica, timing jornalístico, carisma e bordões infalíveis. Para selecionarmos os melhores, vamos considerar dois critérios principais: o impacto e a importância que tiveram na narração esportiva em geral e o tempo durante o qual se mantiveram relevantes. Vamos à lista!

5. Téo José

Téo José é reconhecido por sua capacidade de narrar diversos tipos de eventos esportivos com a mesma eficiência e seriedade, oferecendo ao público uma cobertura sem erros. Tendo rodado pelos principais canais do Brasil, como Globo, SBT e Bandeirantes, Téo se destaca por passar uma imagem de muito profissionalismo e seriedade em suas narrações.

4. Cléber Machado

Depois de quase 30 anos dedicados à Rede Globo, Cléber Machado foi trabalhar na Record e atualmente está na SBT. Cléber deu “certo” azar em ser o reserva de Galvão Bueno, então seu verdadeiro reconhecimento ficou um pouco à sombra do seu colega de Globo, principal estrela da companhia. Mas o seu estilo um pouco mais “humorístico” do que o habitual para a maior empresa de comunicação do país, ganhou muitos admiradores. Versátil, Cléber também narrava outros esportes, como a Fórmula 1. Seu momento mais famoso é o bordão “hoje não, hoje não, hoje sim”, imortalizado na derrota de Rubinho Barrichello para Schumacher.

3. Silvio Luiz

Silvio Luiz, com seu estilo irreverente e bordões marcantes, tornou-se um ícone da narração no Brasil. Ele trouxe de fato a linguagem popular das arquibancadas para as cabines de transmissão da imprensa esportiva.

Silvio ficou conhecido por inventar inúmeros bordões, que se colaram à memória e ao coração do torcedor brasileiro. Quem não reconhece bordões como “pelo amor dos meus filhinhos!”, “olho no lance!” e “pelas barbas do profeta!”? Tendo falecido aos 90 anos, em maio de 2024, Silvio Luiz trabalhou em importantes emissoras, como Record, Band, SBT e RedeTV!, e deixou sua marca em cada uma delas com sua voz inconfundível e personalidade carismática.

2. Luciano Do Valle

Luciano do Valle foi um narrador esportivo versátil que ultrapassou o futebol, literalmente popularizando esportes como a Fórmula 1 e o futebol americano no Brasil. Ele acreditava que os jornalistas deveriam difundir diversas modalidades esportivas, e seu carisma e paixão pelo trabalho o tornaram uma referência no meio.

Luciano trabalhou em empresas como Globo, Record e Band, onde foi fundamental na criação do “Show do Esporte”e, na verdade, de toda “cara” esportiva que o canal ganhou quando Luciano do Valle começou a direcionar a sua grade aos fins de semana para uma pauta basicamente esportiva.

Seu estilo respeitado e sóbrio deixou um legado para aqueles que querem se tornar narradores no Brasil. Além de ajudar a aprofundar a paixão do brasileiro pelo futebol, com suas belas narrações, Luciano ajudou a Fórmula 1 e a NFL a crescerem no Brasil e é lembrado com saudade por fãs dos mais variados esportes.

1. Galvão Bueno

“É Teeeetra! É Teeeetra!” e “Haja coração”, e também “Bem, amigos da Rede Globo…”. Não, não tinha como ser outro, apesar de muitos o detestarem. O fato é que Galvão Bueno foi e continua sendo o maior narrador do Brasil. Seu carisma, seu vocabulário, seu sotaque, seus bordões acompanharam o torcedor brasileiro em centenas e centenas de jogos ao longo de pouco mais de 40 anos de narração.

Além de ter sido por muitas vezes “a voz” do Brasil nas Copas do Mundo, incluindo as duas em que a Seleção Brasileira saiu vitoriosa (94 e 2002), Galvão também foi crucial (ao lado de Luciano do Valle) na popularização da Fórmula 1 no Brasil, especialmente nas décadas de 1980 e 1990.

Galvão Bueno trabalhou quase toda a vida na Rede Globo, onde se consolidou como o maior narrador do Brasil, mas ele também chegou a trabalhar na Rede Record e Rede OM (atual CNT). Muito antenado nas novidades da comunicação, hoje em dia Galvão Bueno tem um canal de muita visualização no Youtube chamado Canal GB.

Acompanhe notícias sobre o esporte no X (antigo Twitter):

*As odds estão sujeitas a mudança pelas casas de aposta.

** Lembre-se que a aposta é uma fonte de diversão, não um investimento.

tops

Aposta nas melhores casas de apostas do dia 24 de Julho 2024

Deixe um comentário

Você está aqui: Início > Profissionais > “Haja coração!” Listamos os 5 melhores narradores brasileiros de todos os tempos