Messi e Neymar estavam incomodando o PSG – que grande revelação!

Publicado :

De acordo com fontes próximas, não só a qualidade do futebol do PSG caiu, como o clima pesou, nos momentos que antecederam as saídas de Messi e Neymar. Jogadores foram contratados como cerejas do bolo, mas o tiro saiu pela culatra, fazendo o clube parisiense enfrentar uma fase de trevas.

Os dois jogadores estariam desequilibrarando a equipe, de acordo com fontes próximas.

Andy Delort jogou ao lado de Neymar, Kylian Mbappé e Lionel Messi. E, na sua opinião, o argentino e o brasileiro não estavam levando a sério a sua passagem por França, pois “não defendiam muito”, além de prejudicar a equipe.

“No gramado ou durante as sessões de treino antes do jogo, era óbvio que os três atacantes não estavam se preocupando em defender muito, e que não era a Paris de há dois ou três anos atrás, que era mais equilibrada”,

afirmou o franco-argelino em declarações à RMC Sports.

O antigo jogador do Nice, Montpellier e Nantes defrontou o PSG em várias ocasiões. Nesses duelos, ele pôde observar como a abordagem ofensiva que resultou na presença de três atacantes de alto nível e a falta de participação defensiva criava muito espaço para os adversários explorarem.

Foi aí que surgiram os gols, como acontece nos jogos importantes. Especialmente na Liga dos Campeões, onde não se podia cometer um erro por um segundo, porque faziam-nos pagar por isso. As eliminatórias contra o Real Madrid e o Bayern de Munique nas oitavas de final em anos consecutivos foram exemplos disso.

A junção de Neymar, Kylian Mbappé e Lionel Messi não foi o que se esperava. Para além do nível futebolístico e do talento de cada um, não atingiram o objetivo que a direção pretendia alcançar quando os contratou: ganhar a Liga dos Campeões.

O plantel da equipe depois de Messi

Com a chegada de Luis Enrique, jogadores importantes deixaram a equipe, mas já completaram o seu ciclo. O capitão da seleção argentina assinou com o Inter Miami, onde parece ter encontrado o seu lugar e voltou a ser feliz.

Por sua vez, Ney tornou-se a estrela do Al Hilal: o clube que pagou 90 milhões por ele. Renato Sanches, Leandro Paredes e Abdou Diallo para o Al Arabi também estão entre as saídas mais importantes.

Os parisienses mudaram-se e trouxeram Milian Skriniar como agente livre, bem como Marco Asensio e Arnau Tenas. O clube também contratou Manuel Ugarte, do Sporting, Kang In Lee, do Maiorca, Lucas Hernández, do Bayern, Ousmane Dembélé, do Barcelona, e Cher Ndour e Gonçalo Ramos, do Benfica.

O Kylian fica

No entanto, decidiram manter Kylian Mbappé. O francês continuou no centro do projeto desportivo em busca do título que falta na sua sala de troféus, agora com muitos parceiros diferentes.

O atual atacante do Umm Salal do Qatar falou sobre estas movimentações. Referiu que considera que foi um bom mercado de transferências devido às características dos jogadores que foram contratados. Ele acredita que o plantel será benéfico para o seu treinador.

“Acho interessantes as contratações que fizeram este verão. São jogadores que estão num estado de espírito diferente dos jogadores que saíram. Com Mbappé que, como vimos mais uma vez, é um fenómeno. Mais uma vez, respondeu da melhor forma possível e Penso que vai ser uma grande temporada para todos, para o PSG também,

concluiu.

Os parisienses começaram o ano com dois empates seguidos, mas obtiveram a primeira vitória no dia anterior contra o Lens por 3 a 1 com Donatello em uma atuação brilhante, com dois gols. É o melhor marcador da equipa no início da época e o segundo em toda a Ligue 1.

Aposta nas melhores casas de apostas do dia 18 de Julho 2024

Deixe um comentário

Você está aqui: Início > Futebol > Futebol Europeu > Champions League > Messi e Neymar estavam incomodando o PSG – que grande revelação!